INOVAÇÃO E PI GANHAM ESPAÇO NA AGENDA EMPRESARIAL BRASILEIRA PATENTE.

Os mais de 180 inscritos e o auditório cheio de empresários e pesquisadores evidenciavam a nova realidade da economia brasileira: inovação e propriedade intelectual, temas do Seminário INPI/Apex-Brasil em PI, se tornaram essenciais para a agenda nacional de competitividade nas empresas. O evento foi realizado na última terça-feira (26/07), na sede da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), em Brasília.

Logo na apresentação inicial do evento, o secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Alessandro Teixeira, deixou claro que a inovação é a base da competitividade das empresas no mundo globalizado, sempre aliada à questão da PI. Para ele, a Era da Qualidade foi superada. “Hoje em dia, qualidade é pressuposto. Falar de empresa competitiva é falar da relação entre a inovação e a capacidade de produzir e resguardar direitos de PI”, afirmou Teixeira, lembrando que a inovação será um tema prioritário na nova política do Governo Federal.

Já o presidente do INPI, Jorge Ávila, destacou as ações do Instituto para acelerar as análises de patentes, como forma de garantir mais segurança e incentivo às transações envolvendo o conhecimento protegido. Ele lembrou que a inovação e a PI devem estar no centro das estratégias empresariais, com foco nos mercados interno e externo.

“Lançar o novo para competir com mais força é fundamental na economia do conhecimento”, destacou Ávila, que também defendeu a discussão sobre o marco legal brasileiro de PI em áreas como biotecnologia.

Dos tênis aos tablets

Os benefícios da inovação para a competitividade das empresas aparecem em todos os setores econômicos, do ciclismo e dos tênis esportivos aos restaurantes e computadores, como destacou o especialista Eduardo Lycurgo Leite em sua apresentação.

Mas eles só se tornam exclusivos com patentes, marcas e outras proteções, sejam no seu país como em outros para os quais se pretende exportar. Este tema foi abordado na apresentação da diretora de Cooperação para o Desenvolvimento do INPI, Denise Gregory, que também abordou a importância da informação tecnológica para a pesquisa.

Como parte do acordo de cooperação com o INPI, o presidente da Apex-Brasil, Maurício Borges, apresentou as ações da Agência para a promoção da propriedade intelectual nas empresas brasileiras com potencial exportador.

Além disso, o diretor regional da Organização Mundial da Propriedade Intelectual (Ompi), José Graça Aranha, fez uma apresentação sobre depósitos de marcas no exterior; enquanto a presidente da Associação Paulista de Propriedade Intelectual (ASPI), Ivana Có Crivelli, discutiu os impactos do direito autoral nos negócios.

 

Fonte: Protec

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s