ESTUDANTE DE ENGENHARIA ELÉTRICA DA UFES É PREMIADO EM DISPUTA INTERNACIONAL

Daniel e Hader (da esqueda para a direita), com um dos jurados e com o diretor da competição.

Um software capaz de ajudar as pessoas a controlarem a energia elétrica gasta em suas casas foi desenvolvido por integrantes do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica (PPGEE) da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e ganhou o 3º lugar no prêmio internacional Idea to Product Competition – Latin America.

O software é produto da dissertação de mestrado do estudante Hader Aguiar Dias Azzini. “Temos, atualmente, um potencial de redução de aproximadamente 20% do consumo de energia doméstico, mas precisamos identificar primeiro quem gasta e como gasta a energia para criarmos medidas mais eficientes de redução do consumo”, comenta Azzini ao explicar uma das motivações de seu trabalho.

A pesquisa consiste na instalação, no ramal de energia principal da casa, de um medidor que gera dados sobre o consumo de energia da residência. Com o software criado é possível interpretar os dados descobrindo quanto tempo ficou ligado cada eletrodoméstico e quanto cada um consumiu.

Trabalhos como o do mestrando podem ser registrados junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), órgão responsável por analisar e conceder proteções no Brasil, como forma de assegurar garantias futuras em caso de violação do invento. O Instituto de Inovação Tecnológica (Init) é o órgão da Ufes criado para gerir a política de inovação da universidade e tem como objetivo, entre outros, facilitar aos inventores as ferramentas e informações necessárias para viabilizar a proteção.

Por meio do Init, os inventores podem registrar junto ao INPI programas de computador, marcas, desenhos industriais, cultivares, indicações geográficas e topografias de circuito, além de depositar patentes. Os registros e depósito podem garantir à universidade e aos pesquisadores o respeito aos direitos decorrentes do trabalho realizado.

A pesquisa de desenvolvimento do software, que conta com a participação dos professores da Ufes Jussara Fardin e Evandro Salles, concorreu com outros 29 projetos de toda a América Latina, ficando em primeiro lugar na semifinal que disputou.  Faziam parte também da equipe na competição, Aluir Purceno, aluno de doutorado da Universidade Federal de Minas Gerais, e Daniel Cardoso , estudante de ciências da computação na Ufes. A equipe vencedora da etapa latino americana, FEBETCH da Universidade Federal de Ouro Preto, participa em novembro, da final mundial em Estocolmo, na Suécia. O prêmio é promovido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e conta com apoio de empresas como a 3M e Boticário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s