Brasileiro vence prêmio global de informação sobre biodiversidade

O biólogo Bruno Umbelino da Silva Santos, da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), conquistou o prêmio mundial Jovens Pesquisadores na área de tecnologia da informação para a biodiversidade, na categoria mestrado. É a primeira vez que um brasileiro conquista a premiação.

Umbelino recebeu da Plataforma Global de Informação sobre Biodiversidade (GBIF, na sigla em inglês) o prêmio de 4 mil euros para dar prosseguimento às pesquisas. Aluno de pós-graduação de Diversidade e Conservação nos Trópicos do Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde da Ufal, o pesquisador de 23 anos é autor do estudo “Mapeando a perda do conhecimento da biodiversidade na Amazônia em função do desmatamento histórico e futuro”.

“Eu quis estudar os impactos antropogênicos na floresta tropical Amazônia, uma das mais importantes do mundo. Avaliar a ação do homem ao longo do tempo e, com isso, gerar um alerta para mudança de comportamento futuro”, explicou Santos.

Com base em um modelo que estima a totalidade de dados na região, ele pretende quantificar o conhecimento sobre a biodiversidade já perdido em decorrência do desmatamento e projetar um mapa que possa ser um instrumento para a orientação de amostragens de campo e pesquisas futuras, especialmente quando usado junto com dados atualizados sobre o desmatamento.

Segundo o estudo, o declínio na qualidade dos dados pode trazer consequências graves para o planejamento da conservação, uma vez que os pesquisadores passam a construir modelos de distribuição de espécies com dados incompletos de florestas que não existem mais e que, por definição, não podem ser inventariados novamente.

“Considero que o uso de grandes bancos de dados (Big Data) é bastante relevante no suporte aos estudos conservacionistas, biogeográficos e de outras subáreas da biologia. Sua relevância vai da maximização do tempo de coleta, completude de dados e maior precisão na inferência das amostras”, afirmou o pesquisador.

Jovens Pesquisadores

Anualmente o prêmio Jovens Pesquisadores oferece dois auxílios de 4 mil euros para um projeto de mestrado e outro de doutorado. Os projetos são avaliados respeitando os seguintes critérios: originalidade e inovação; uso e relevância estratégica para o GBIF; e mensurabilidade e impacto no avanço da informática para a biodiversidade e/ou a conservação da diversidade biológica.

Bruno Umbelino compartilha o prêmio com o mexicano Juan M. Escamilla Molgora, doutorando da Universidade de Lancaster, no Reino Unido. A Comissão de Ciência do GBIF elogiou os dois premiados pela inovação e originalidade da pesquisa e o uso criativo de dados disponibilizados pela plataforma global de biodiversidade.


Fonte: Agência Gestão CT&I, com informações do MCTIC

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s