Edital de Internet das Coisas recebe projetos que somam R$ 360 milhões

Chamada pública foi lançada pelo BNDES em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) para o desenvolvimento de soluções de IoT.

BNDES_recebe_projetos_de_IoT_para_ampliar_agricultura_de_precisaoFonte: MCTIC

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) recebeu 54 projetos de soluções de Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês) no edital lançado com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Foram 23 projetos para cidades, 17 para saúde e outros 14 para soluções no campo. O valor total dos projetos chegou a R$ 360 milhões. Desse total, o BNDES vai disponibilizar até R$ 30 milhões para os pilotos selecionados, de forma não reembolsável.

O apoio do BNDES a projetos de IoT é uma das medidas de impacto recomendadas pelo estudo “Internet das Coisas: um plano de ação para o Brasil”, realizado em parceria com o MCTIC. O mesmo documento serviu de base para a construção do Plano Nacional de IoT.

Para alavancar os investimentos, os projetos tiveram que apresentar contrapartidas – sendo que o BNDES apoiará até 50% do custo de cada projeto, com valor mínimo de R$ 1 milhão. As iniciativas de IoT deverão ser testadas em plataformas de experimentação ou em ambientes reais. Para poder acessar os recursos da chamada pública, os consórcios devem envolver instituições de ciência e tecnologia (ICTs), empresas fornecedoras de tecnologia e usuários.

“Precisamos que o projeto seja sustentável e replicável, focando na necessidade que o usuário demandante daquela tecnologia tem. Com isso, juntamos o desenvolvedor, que é a ICT, a indústria fabricante e o comprador daquela tecnologia. Então, desde a origem, você sabe qual é a demanda real. Quando você bota todo mundo junto, você cria um ambiente para desenvolver. E isso está previsto no Plano Nacional de IoT”, destacou o secretário de Políticas Digitais do MCTIC, Thiago Camargo.

A previsão é que o resultado dos projetos selecionados seja divulgado até o final de outubro. A seleção será feita por técnicos do BNDES e do MCTIC. O início do aporte para os desenvolvedores está agendado para o início de 2019. O prazo para a execução das propostas é de 24 meses.

Perfil

Em cidades, os projetos apresentados somaram R$ 153 milhões em investimentos, envolvendo 22 prefeituras, concessionárias ou campi de universidades que se candidataram a receber os projetos de IoT. Também estão inseridas 23 ICTs e cerca de 40 empresas fornecedoras. As soluções envolvem pilotos em segurança pública; água e saneamento; mobilidade urbana; e redes de iluminação pública com tecnologias de Internet das Coisas.

As propostas em segurança pública envolvem soluções de vídeomonitoramento e análise avançada de dados – com potencial de redução de 20% dos indicadores de criminalidade. Em mobilidade urbana, semáforos inteligentes, com câmeras que permitem a temporização desses equipamentos, podem diminuir em 15% o tempo de deslocamento de veículos. Já a adoção de iluminação pública integrada com IoT tem potencial pode baixar os custos em até 50%, além de habilitar serviços como redes Wi-Fi públicas e até lixeiras com sensores de capacidade.

Para a área da saúde, os projetos apresentados totalizam R$ 104 milhões. Os pilotos priorizam o monitoramento de pacientes, que podem tem aplicação na pediatria, doenças crônicas, infecções hospitalares, hábitos de saúde e estilo de vida. Já o monitoramento de ativos está voltado para higienização, e gestão de estoques e equipamentos hospitalares. Há ainda iniciativas dedicadas ao diagnóstico descentralizado, aplicados a doenças negligenciadas, por exemplo.

Para soluções de IoT voltadas ao agronegócio, o volume de investimentos alcançou R$ 107 milhões. As propostas abrangem as mais diversas cadeias produtivas do Brasil e têm como objetivo testar tecnologias de automação e digitalização das operações agrícolas, o que amplia o uso da agricultura de precisão.

Dentre os exemplos de aplicações, estão plataformas de gestão em tempo real de máquinas agrícolas por meio de algoritmos de inteligência artificial para a geração de indicadores de desempenho e manutenção preventiva; modelos dinâmicos de alta precisão para previsão do tempo; monitoramento de plantações via drones; armadilhas eletrônicas para controle de pragas; acompanhamento do comportamento de animais e definição do ponto ótimo de abate por meio de sensores, balanças e câmeras inteligentes.

Indústria

O BNDES também vai disponibilizar R$ 5 milhões adicionais para projetos que envolvam o desenvolvimento de soluções para a indústria nacional. A ideia, segundo o diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação Digital do MCTIC, José Gontijo, é fortalecer a manufatura avançada no país.

“Esse era um setor que se pensava em disponibilizar recursos em um segundo momento, mas é importante também apoiar o desenvolvimento da indústria 4.0 para que o Brasil possa prospectar um caminho para se tornar referência nesse setor em nível mundial”, ressaltou José Gontijo.

Sinergia

Além da parceria com o BNDES, o MCTIC articulou com a Financiadora de Inovação e Pesquisa (Finep) o lançamento de uma linha de crédito de R$ 1,5 bilhão para IoT, com recursos da própria Finep e do Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Comunicações (Funttel). Segundo Gontijo, as empresas podem acessar esses recursos para garantir suas contrapartidas no edital do BNDES.

“Essas duas ações não estão diretamente ligadas, mas atuam em sinergia. As empresas podem usar a linha de crédito da Finep como garantia do aporte do projeto submetido ao edital do BNDES. Isso mostra o esforço que temos feito em prol do desenvolvimento desse setor no país.”

Fonte: MCTIC

Anúncios

Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do ES lança quatro editais de pesquisas

Com o objetivo de apoiar e incentivar a produção técnico-científica de jovens pesquisadores, de núcleos emergentes e de excelência sediados no Espírito Santo, a Fapes lançou quatro editais de pesquisa, no dia 08/08/2017.

Os editais são: Universal; Programa Primeiros Projetos; Programa de Apoio a Núcleos Emergentes; e Programa de Apoio a Núcleos de Excelência. Além disso, foram assinados os termos de outorga do Programa de Pesquisa Ecológica de Longa Duração – Peld. A ação foi desenvolvida em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), e contará com o subsídio de recursos superior a R$ 6,8 milhões.

Edital Universal

O Edital Universal tem por finalidade apoiar projetos de pesquisa nas oito áreas do conhecimento: Ciências Agrárias, Engenharias, Ciências Exatas e da Terra; Ciências Humanas, Linguística, Letras e Artes; Ciências da Saúde, Ciências Sociais Aplicadas e Ciências da Vida, e contará com a contribuição de recursos financeiros de R$ 2 milhões, sendo que o valor máximo para projetos oriundos de pesquisadores com mestrado será de R$ 25 mil, projetos de doutores com até 10 anos de titulação o valor máximo será de R$ 35 mil e projetos de doutores com mais de 10 anos, R$ 50 mil.

Programa Primeiros Projetos

Já o Programa Primeiros Projetos (PPP) tem por finalidade apoiar e fomentar a produção técnico-científica do jovem pesquisador, por meio, principalmente, do fortalecimento da infraestrutura básica de sua instituição de vínculo. O edital do PPP contará com aporte de recursos financeiros da ordem R$ 472 mil que deve ser executado em, no máximo, 24 meses, e ser coordenado por pesquisadores com título de doutor há menos de 10 anos e que não tenham recebido financiamento para execução de projetos de qualquer agência de fomento, inclusive a Fapes (exceto para o Programa Pesquisador do Futuro – PIC Jr.). O valor máximo a ser solicitado, para projetos experimentais, será R$ 25 mil. Já para os projetos não experimentais, o máximo a ser solicitado deverá ser de R$ 15 mil, por projeto.

Programa de Apoio a Núcleos Emergentes

O edital Programa de Apoio a Núcleos Emergentes (Pronem) tem por finalidade apoiar projetos que sejam coordenados, exclusivamente, por pesquisadores bolsistas de produtividade em pesquisa ou Desenvolvimento Tecnológico nível 2 do CNPq, visando contribuir para o fortalecimento e a consolidação de grupos de pesquisa emergentes sediados em instituição do Espírito Santo, em temas prioritários e áreas estratégicas para o estado, como: Energias Renováveis; Recursos Hídricos e Pesqueiros; Novos Materiais e Processos e Biodiversidade.

No Pronem, o prazo máximo de execução dos projetos é de 36 meses, e deverão ser aportados R$ 2,3 milhões, o maior entre os editais a serem lançados, uma vez que a maioria dos pesquisadores que atuam no estado são nível 2. Neste edital, projetos experimentais poderão solicitar até R$ 200 mil por projeto. Já para os projetos não experimentais, o máximo a ser solicitado será R$ 100 mil.

As equipes dos projetos do Pronem deverão ser formadas, obrigatoriamente, por pelo menos mais um bolsista de produtividade em pesquisa ou Desenvolvimento Tecnológico nível 2 do CNPq, vinculado à Instituição de Ensino Superior ou Pesquisa sediadas no Espírito Santo; por pelo menos mais dois pesquisadores doutores vinculados à Instituição do estado, (preferencialmente credenciado em programa de pós-graduação, e por alunos de pós-graduação e de graduação).

Programa de Apoio a Núcleos de Excelência

O quarto edital programado pela Fapes e pelo CNPQ é o Programa de Apoio a Núcleos de Excelência (Pronex), considerados de alta competência, que tenham liderança e papel nucleador no setor de atuação, isto é, apoio a pesquisadores com significativa liderança dentro da sua área de pesquisa, inserção nacional e internacional, e excelência continuada na produção científica e na formação de recursos humanos, visando contribuir para o fortalecimento e a consolidação de Núcleo de Pesquisa de Excelência no Espírito Santo.

Também com prazo máximo de execução dos projetos de 36 meses, poderão submeter propostas ao Pronex os pesquisadores bolsistas Produtividade ou Desenvolvimento Tecnológico Nível 1 do CNPq. A colaboração financeira prevista é de R$ 2,2 milhões, sendo, no máximo, de R$ 500 mil por projeto experimental e R$ 250 mil para projetos não experimentais. As áreas prioritárias do Pronex são: educação; agropecuária; biodiversidade; biotecnologia; energias renováveis; logística; novos materiais; recursos hídricos; saúde e tecnologia da informação.

As equipes do projeto do Pronex devem ser formadas, obrigatoriamente, por pelo menos dois bolsistas produtividade em pesquisa ou Desenvolvimento Tecnológico nível 1 ou 2 do CNPq (excluindo o coordenador), vinculados à Instituição de Ensino Superior ou Pesquisa do Espírito Santo; pelo menos um pesquisador doutor não bolsista produtividade do CNPq, vinculado à Instituição de Ensino Superior ou pesquisa do estado (preferencialmente credenciado em programa de pós-graduação); e estudantes de pós-graduação e de graduação.

Consulte os editais em www.fapes.es.gov.br


Fonte: PRPPG – UFES

CNPq divulga resultado final da chamada de apoio a eventos

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) divulgou nessa segunda-feira, 31, o resultado final da chamada de auxílio à promoção de eventos científicos, tecnológicos ou de inovação (ARC). Após a avaliação dos recursos, esse é o resultado final da chamada.

Foram contempladas 458 propostas e o prazo de execução dos projetos são 12 meses. Os projetos aprovados serão financiados com recursos no valor global de R$ 12 milhões, oriundos do orçamento do CNPq e do FNDCT/Fundos Setoriais.

As propostas deveriam estar inseridas em um das três linhas de pesquisa: eventos nacionais ou internacionais tradicionais da área, promovidos por sociedades ou associações científicas e/ou tecnológicas, ou eventos que sejam realizados periodicamente e que tenham abrangência nacional ou internacional; eventos de abrangência regional, promovidos por sociedades ou associações científicas e/ou tecnológicas, ou eventos que estejam em suas primeiras edições (com histórico inferior a 10 (dez) anos); ou eventos mundiais que serão realizados no Brasil.

A chamada, lançada em março deste ano, visa apoiar eventos nacionais ou mundiais a serem realizados no Brasil, tais como congressos, simpósios, workshops, seminários, ciclos de conferências e outros eventos similares, relacionados à Ciência, Tecnologia e Inovação.

Acesse aqui e confira os resultados da Linha 1Linha 2 e Linha 3.


Fonte: Coordenação de Comunicação Social do CNPq

Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia seleciona bolsista de pós-doutorado

Foto: UFES

O Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia, do Centro de Ciências da Saúde (CCS) da Ufes abriu neste sábado, 22, as inscrições para o processo seletivo para contratação de 1 (um) bolsista de pós-doutorado em Biotecnologia. Os candidatos deverão ter título de doutor obtido nos últimos 10 anos; currículo cadastrado na plataforma Lattes; não possuir vínculo empregatício de qualquer natureza na data de contratação; não ter acúmulo de bolsas; e ser residente no Espírito Santo.

O candidato aprovado poderá optar pela área de agronegócio ou saúde. O valor da bolsa é de R$ 4.100,00, a ser paga durante 10 meses. A avaliação dos candidatos será realizada pela comissão examinadora do Programa e constará de duas etapas: projeto de pesquisa e análise da produção técnico-científica.

Os interessados devem encaminhar todos os documentos solicitados no edital (disponível abaixo) para o e-mail selecaobiotec@gmail até o dia 6 de agosto de 2017. A previsão é que o resultado final do processo seletivo seja divulgado no dia 1º de setembro.

Anexo: 

Fonte: UFES | Texto: Jorge Medina | Edição: Thereza Marinho

 

Ministério da Ciência e Tecnologia seleciona projetos de popularização da Ciência para apoio financeiro

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) está com chamada aberta até o dia 05 de junho para seleção de propostas para apoio financeiro a projetos que visem contribuir com o desenvolvimento científico e tecnológico do país.

O objetivo é selecionar e apoiar projetos de eventos que tenham como objetivo a divulgação e popularização da Ciência, em especial na área da Matemática, a serem executados durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia de 2017, que terá como temática “A Matemática está em Tudo”, em consonância com as comemorações do Biênio da Matemática em 2017 e 2018.

Os projetos submetidos devem contemplar como público prioritário a comunidade em geral, os alunos da educação básica, do ensino profissionalizante e técnico, do ensino superior e todos àqueles que tenham interesse em ciência e tecnologia.

Os eventos devem ocorrer durante a Semana de C&T, que será realizada entre os dias 23 e 29 de outubro.

Mais informações podem ser obtidas no edital anexo abaixo.

Anexo:  versao_20_de_abril_de_2017.pdf

Sobre a Semana

A Semana Nacional de Ciência e Tecnologia é realizada sempre no mês de outubro sob a coordenação do MCTIC, por meio do Departamento de Difusão e Popularização da Ciência e Tecnologia. O evento conta com a colaboração de secretarias estaduais e municipais, agências de fomento, espaços científico-culturais, instituições de ensino e pesquisa, sociedades científicas, escolas, órgãos governamentais, empresas de base tecnológica e entidades da sociedade civil.

O objetivo é aproximar a Ciência e Tecnologia da população, promovendo eventos que reúnam diversas instituições a fim de realizarem atividades de divulgação científica em todo o país por meio de uma linguagem acessível à população.


Fonte: UFES | Texto: Lucas Santos (estagiário de Comunicação) | Edição: Thereza Marinho

Edital do Programa Sinapse da Inovação Espírito Santo

O Sinapse da Inovação é um programa de incentivo ao empreendedorismo inovador que oferece:

(1) recursos financeiros (R$ 50.000,00 por ideia selecionada)

(2) capacitações

(3) orientação técnica, inclusive com acesso a serviços técnicos do Sebrae

(4) acesso a incubadoras, potenciais investidores, etc.

Desde o seu lançamento, o Sinapse da Inovação apoiou a criação de mais de 400 empresas inovadoras em Santa Catarina e no Amazonas, e, agora, acaba de chegar ao Espírito Santo.

São disponibilizados slides e vídeos gratuitos sobre o programa, com os quais você poderá:

  1. Se capacitar para a divulgação do Programa a partir de um curso on-line de curta duração, composto por quatro vídeos, sendo três que explicam questões primordiais sobre inovação e empreendedorismo, e um que explica em detalhes o que é o Programa Sinapse da Inovação.
  1. Com os vídeos, se capacitar para propor ideias ou entrar na equipe de algum proponente, abrindo uma interessante perspectiva profissional para você.
  1. Assistir às capacitações e organizar palestras (em turmas ou auditório) e/ou fazer divulgação nas redes sociais sobre o programa, enviando comprovação (fotos, print, e texto sobre o evento), e recebendo um certificado de participação no Programa Sinapse da Inovação ES. As comprovações devem ser enviadas em forma de relatório seguindo o modelo em anexo para o e-mailsinapse.es@sinapsedainovacao.com.br(link sends e-mail) até o dia 07/07, para darem direito ao certificado.

Portanto, não perca tempo: Submeta suas ideias, e divulgue para todos os seus contatos, incluindo principalmente pessoas que você considera que tenham capacidade empreendedora.

O Kit de Divulgação do programa pode ser acessado no link a seguir:

https://drive.google.com/drive/folders/0B8_oZbbAVsy-N0ozRWxQTU5JNTA?usp=… (link is external)(link is external)

Os quatro vídeos de capacitação estão protegidos com a senha SinapseCapixaba2017, nos links abaixo

  1. O processo de inovação:https://vimeo.com/220953274 (link is external)(link is external)
  2. Empreendedorismo inovador: https://vimeo.com/220953679 (link is external)(link is external)
  3. Modelo Sinapse de Desenvolvimento Empresarial:https://vimeo.com/221567862 (link is external)(link is external)
  1. O Sinapse da Inovação ES:https://vimeo.com/221565976 (link is external)(link is external)

Para mais informações, o link para o Edital do Programa é o seguinte:

http://es.sinapsedainovacao.com.br/edital-espirito-santo/ (link is external)(link is external)

Link para o portal do programa na internet:

http://es.sinapsedainovacao.com.br/ (link is external)(link is external)

Link para informações no facebook:

https://www.facebook.com/sinapsedainovacaoes (link is external)(link is external)


Fonte: PRPPG – UFES e FAPES

Projetos de empresas brasileiras e suecas são selecionados pelo Edital de Inovação

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) anunciou a seleção de três projetos do setor aeronáutico no âmbito do Edital de Inovação para a Indústria. Apresentados por empresas brasileiras e suecas, que propõem soluções a desafios apresentados pela agência de inovação da Suécia (Vinnova), cada proposta receberá R$ 200 mil disponibilizados pelo Senai e pela instituição europeia. Os protótipos serão desenvolvidos a partir de setembro.

O projeto apresentado pela empresa Intelectron, de São José dos Campos, em parceria com a sueca Saab, fará estudo de viabilidade para a adaptação de um “robô-serpente”, desenvolvido no Brasil, destinado a aplicações na vedação de estruturas no setor aeronáutico.

A proposta da empresa Akaer, também de São José dos Campos, em parceria com as suecas Prodtex e X-Laser, é desenvolver um sistema automatizado para a montagem de estruturas aeronáuticas. A empresa Akaer e a catarinense Alkimat, em conjunto com as suecas Saab e Cobolt, foram selecionadas com projeto que busca investigar o potencial da manufatura aditiva para a indústria aeroespacial.

A empresa Vinnova é referência mundial em inovação aberta – quando são feitas parcerias entre diferentes segmentos para desenvolvimento de soluções inovadoras.

Empreendedorismo

Em sua categoria C, denominada Empreendedorismo Industrial – Inovação na Cadeia de Valor, o Edital de Inovação para a Indústria fomenta a colaboração entre grandes indústrias e startups de base tecnológica, micro e pequenas empresas (MPE e MEI). O objetivo é que, ao final de 12 meses, o protótipo resultante do projeto inscrito no Edital seja o instrumento para construir confiança entre grandes empresas e startups de base tecnológica por meio de temas comuns.

Grandes indústrias poderão apresentar, a qualquer momento, desafios a serem solucionados por startups, micro e pequenas empresas que inscreverem projetos no Edital.  Entre as soluções apresentadas, a instituição âncora escolherá com qual empresa quer trabalhar. Cada projeto recebe investimento de até R$ 400 mil. A instituição-âncora poderá, a seu critério, empregar quantias superiores. As indústrias devem preencher o modelo de submissão de desafios no site do Edital.

Além de desafios específicos, o Edital está recebendo propostas de empresas e startups interessadas em recursos para projetos de inovação tecnológica em outras cinco categorias. Neste ano, serão aportados R$ 53,6 milhões para o desenvolvimento de projetos de inovação investidos pelo SENAI, pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e pelo Serviço Social da Indústria (SESI). Os projetos serão selecionados com base em critérios como o potencial de inovação e de comercialização do produto ou do processo.


Fonte: Agência Abipti com informações da Agência CNI Notícias